• Sociedade Portuguesa de Literacia em Saúde

Mónica Correia

Atualizado: 23 de ago.


A literacia em saúde é um instrumento de capacitação e de auto responsabilização. Contribuir com melhorias neste campo resulta num maior estímulo à participação individual nos cuidados de saúde, o que se manifesta em melhores resultados em saúde e num contributo para a equidade, pois a literacia em saúde é um importante preditor de saúde.


As grandes transformações que regem o nosso mundo na atualidade têm impactos profundos na forma como gerimos as nossas vidas. Uma adaptação permanente a novas ferramentas e a novos contextos, potenciados pelas tecnologias de informação e comunicação (TIC), transforma-se num desafio constante o que, em algumas situações, priva os indivíduos de autonomia, limitando-os no exercício dos seus deveres e direitos. Acompanhar estas mudanças e tirar benefício das novas ferramentas está dependente da motivação, e das competências para aceder, avaliar e interpretar a informação, que poderá ser utilizada em benefício do próprio e/ou da comunidade. Sendo os cuidados de saúde um domínio pouco familiar para a maioria dos indivíduos, aqueles que são detentores de mais elevados níveis de literacia são os que se revelam mais capazes de aplicar as suas competências nestes contextos. A relação entre literacia e saúde, manifestada em questões tão elementares como a toma adequada da medicação, a capacidade de gerir a doença ou o estabelecimento de interações frutíferas com instituições e profissionais da saúde, leva a que a expressão literacia em saúde seja pertinente, pois integra o conjunto alargado de competências que vão para além de saber ler e interpretar textos ou números, representando um importante ativo para a tomada de decisões informadas em saúde, sejam elas simples e quotidianas ou exigentes e complexas . A literacia em saúde tem ganhado relevância devido ao seu impacto económico e social resultante do avolumar sucessivo dos encargos com a saúde nos países desenvolvidos. Este aumento de custos está diretamente relacionado com uma crescente prevalência de doenças preveníveis, o que reforça a necessidade de intervir em áreas como a promoção da saúde e a prevenção da doença. Contudo, um dos grandes desafios consiste em tornar a informação sobre saúde acionável e acessível para todos, independentemente do nível de educação ou de literacia. Parece ser genericamente consensual que a literacia em saúde está fortemente associada ao nível de ensino podendo, no entanto, ser permeável a melhorias através de ações de educação para a saúde ou de intervenções específicas e localizadas. É aqui que todos nós, especialistas, podemos (e devemos) atuar, colaborando e contribuindo com o nosso conhecimento e experiência para o desenvolvimento de instrumentos que gerem valor e bem-estar para a saúde individual e publica. A literacia em saúde é um instrumento de capacitação e de auto responsabilização. Contribuir com melhorias neste campo resulta num maior estímulo à participação individual nos cuidados de saúde, o que se manifesta em melhores resultados em saúde e num contributo para a equidade, pois a literacia em saúde é um importante preditor de saúde. Estimular a literacia em saúde é contribuir para o desenvolvimento social, económico e humano. Mónica Correia



20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo