• Sociedade Portuguesa de Literacia em Saúde

Diana Pinheiro

Atualizado: 23 de ago.


As boas práticas de literacia em saúde quando apreendidas e aplicadas por profissionais de saúde permitem também a aquisição de um conjunto de competências essenciais, na comunicação e na relação terapêutica entre profissional de saúde–utente/paciente/doente


Visão sobre a Literacia em Saúde

Quando cada cidadão consegue aceder, compreender e utilizar informação em saúde, (OMS, 1998) abre-se e simplifica-se todo o processo de reflexão, bem como de tomada decisões mais esclarecidas, conscientes, confiantes, empoderadas e informadas em saúde.

Estas são competências preciosas e essenciais que, quando aplicadas, contribuem, fortemente para a adoção e manutenção de um estilo e de um “caminho de vida” em saúde, bem-estar e qualidade de vida, seja ao nível individual, seja ao nível familiar, com impactos e ganhos ao nível da saúde societal.

A visão que tenho da literacia em saúde, é a de, na ótica do cidadão que procura os cuidados de saúde, um precioso conjunto holístico, completo e integrado de ferramentas, de instrumentos e de estratégias de entendimento da comunicação em saúde, que quando estimulado, e aprendido por cada cidadão, ao longo do seu ciclo de vida, tal como referido no Plano de ação – Literacia em Saúde – Portugal (2019 -2021), sejam crianças, adultos ou pelos nossos sábios, capacitam, clarificam e simplificam também a navegação e a utilização do sistema de saúde.

As boas práticas de literacia em saúde quando apreendidas e aplicadas por profissionais de saúde permitem também a aquisição de um conjunto de competências essenciais, na comunicação e na relação terapêutica entre profissional de saúde – utente/paciente/doente.

Um profissional de saúde que comunica de forma ACP – Assertiva, Clara, Positiva (Vaz de Almeida, 2020, 2021), e que aplica muitas outras boas práticas de literacia em saúde na comunicação com os seus utentes (Almeida, Moraes & Brasil 2020), consegue de forma extraordinária, eficaz e segura motivar e ativar o seu paciente a ser um agente ativo, proactivo e autoeficaz no seu processo terapêutico.

A pós-graduação em Literacia em Saúde que frequentei em 2018 no ISPA, permitiu todo um despertar, um novo olhar e uma nova forma de comunicar, seja na minha prática clínica, no exercício da docência ou na minha vida pessoal, que resultou:

Em maior motivação dos meus pacientes para a adesão de comportamentos mais saudáveis em saúde, maior autonomia e adesão à terapêutica, melhor comunicação com os meus alunos na transmissão de conteúdos e uma mais eficaz gestão e mediação de comunicação interpessoal. Contribuiu ainda para a redação do livro “saberes e Sabores um guia para nutrir a Família” (Pinheiro, Sampaio & Marques, 2022), mais ACP e mais em linha com as boas práticas da Literacia em saúde e que esperamos poder contribuir para saúde mais próspera e uma vida mais feliz.

Fontes:

Arriaga, M., Santos, B., Silva, A., Mata, F., Chaves, N., Freitas, G. (2019). Plano de Ação para a literacia em Saúde 2019-2021 – Portugal. DGS - Direção-Geral da Saúde. Disponível em https://www.dgs.pt/documentos-e-publicacoes/plano-de-acao-para-a-literacia-em-saude- 2019-2021-pdf.aspx

C. V. Almeida, K. Moraes & V. V. Brasil (Coords.) (2020). 50 Técnicas de literacia em saúde na prática. Um guia para a saúde. Novas Edições Académicas. https://www.amazon.com/T%C3%A9cnicas-LITERACIA-SA%C3%9ADE-PR%C3%81TICA- Portuguese/dp/6202558822 C. V. Almeida, K. Moraes & V. V. Brasil (Coords.) (2020). 50 Técnicas de literacia em saúde na prática. Um guia para a saúde. (Vol2). Novas Edições Académicas. https://www.amazon.com/T%C3%A9cnicas-LITERACIA-SA%C3%9ADE-PR%C3%81TICA- Portuguese/dp/6202558822

Nunes, J.M.(2020), «A comunicação do risco em medicina», Comunicação Pública [Online], Vol.15 nº 29 | 2020, posto online no dia 15 dezembro 2020, disponível em URL: http:// journals.openedition.org/cp/11386 ; DOI: https://doi.org/10.4000/cp.11386

Pinheiro, D., Sampaio, M., Marques, R. (2022). Saberes e Sabores – Um guia para nutrir a Família. Dinalivro

Vaz de Almeida, C. & Belim, C. (2021). Health Professionals’ Communication Competences as a Light on the Patient Pathway: The Assertiveness, Clarity, and Positivity (ACP) Model. International Journal of Applied Research on Public Health Management. 6. 14-29. 10.4018/IJARPHM.2021010102.

Vaz de Almeida, Cristina. (2021). 3 Passos para a felicidade e a sua relação com a positividade e a literacia em saúde. 10.13140/RG.2.2.19971.63523

Vaz de Almeida, C. (2020). O contributo das competências de comunicação dos médicos e enfermeiros para a literacia em saúde: O modelo ACP – Assertividade (A), Clareza (C) e Positividade (P) na relação terapêutica. Disponível em: http://hdl.handle.net/10400.5/20901

World Health Organization, Health promotion glossary, World Health Organization, Geneva (1998)

Dra. Diana Pinheiro

Sócia Fundadora SPLS

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo