• Sociedade Portuguesa de Literacia em Saúde

Aurelindo Vaz


A literacia em saúde é um conceito dinâmico e multidimensional, que preconiza o desenvolvimento do conhecimento, de competências e motivações num processo dinâmico, de transações recíprocas e bidirecionais, em que todos os indivíduos, comunidades e organizações,


A visão de Literacia em Saúde

A literacia em saúde é um conceito dinâmico e multidimensional, que preconiza o desenvolvimento do conhecimento, de competências e motivações num processo dinâmico, de transações recíprocas e bidirecionais, em que todos os indivíduos, comunidades e organizações, têm um papel ativo no seu desenvolvimento, influenciando e sendo influenciado, direta e/ ou indiretamente, pelos indivíduos, comunidades e organizações que compõem os diferentes determinantes sociais e ambientais, contribuindo para uma melhor saúde e bem-estar durante o ciclo de vida.

A Literacia em saúde relaciona a motivação individual para aceder, compreender, partilhar e aplicar a informação para a tomada de decisão responsável. Está ligada à forma como todos os indivíduos, comunidades e organizações adquirem conhecimentos de saúde e a sua motivação para aceder, compreender, avaliar e aplicar a informação nos autocuidados, na prevenção e na promoção de saúde.

O Assistente Social na minha opinião tem de ter um grande domínio de Literacia em Saúde, a intervenção tem como base o individuo na sua totalidade, no contexto físico, social e cultural e nas consequências/impactos da doença/fragilidade/dependência/vulnerabilidades no seu ciclo de vida. A intervenção fomenta uma abordagem global em saúde e coloca em evidência o diagnóstico de problemas sociais que podem potenciar ou encobrir os problemas de saúde. Citando Mondragón e Trigueiros (1999) “o assistente social da saúde é o profissional que assume, no sistema de saúde, a investigação dos fatores psicossociais relacionados com as situações de doença, quer estejam na sua origem (aspetos prévios à doença) ou sejam uma consequência (aspetos resultantes da doença)”. (Carvalho, Maria Irene, 2012)

A relação do profissional de saúde com o individuo implica uma equidade em saúde no reconhecimento de que todos devem ter oportunidade de atingir o seu potencial de saúde. Compreender a importância dos diferentes contextos envolventes, individual, organizacional e pública, num sistema de relações, acontecimentos e transformações, possibilita uma visão mais completa e integrada que, claramente, se refletirá na qualidade e eficiência das decisões que se tomam sobre saúde durante o ciclo de vida.

Aurelindo Ricardo de Oliveira Vaz

Assistente Social na Santa Casa da Misericórdia de Arronches e Técnico Cooptado da CPCJ - Modalidade Alargada de Portalegre

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo